"Ontem chorei, vi nos olhos de uma criança, um olhar sem amanhã."

* Mostrar a realidade

A minha intenção ao colocar estas postagens é de mostrar todos os problemas que envolvem as crianças abandonadas.
Tanto os problemas relacionados ao abandono, como também os traumas, as mentiras, os preconceitos. O que envolve os pais que abandonam, os pais que adotam e os filhos adotivos.
Quando se toma uma decisão de adotar é uma responsabilidade muito grande,pois se trata de um ser humano, e as marcas e recordações ficaram pra vida toda.

Pesquisar este blog

Loading...

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Uma criança recém-nascida foi encontrada abandonada dentro de uma casa vazia em Pindamonhangaba, a 145 km de São Paulo. O bebê foi localizado escondido embaixo de uma pia por vizinhos do imóvel.

A casa fica o bairro Vale das Acácias. O imóvel já estava alugado, mas ninguém morava no local. “A minha filha ouviu o choro e falou que tinha uma criança chorando. Aí o vizinho pulou o muro, eu pedi para chamar a policia, porque a gente não sabia do que se tratava”, contou a empregada doméstica Andréia Galvão.

A criança estava debaixo da pia, atrás de uma tábua. Dois sacos plásticos foram usados para escondê-la. Vizinhos se uniram para cuidar da menina, que foi chamada de Vitória.

“Eu peguei no colo e saí correndo para dar banho, esquentar. Ela estava com muito frio, tremendo, toda roxinha”, contou a empregada doméstica Marlene Rodrigues.

Os primeiros atendimentos foram feitos no pronto-socorro de Moreira César, onde a criança foi diagnosticada com hipotermia. A mãe da menina não foi encontrada.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

***Barriga de Aluguel :- Avó de 59 anos dá à luz a própria neta em Ribeirão Preto-SP

 
A aposentada Eunice Martins, de 59 anos, de Franca, deu à luz nesta terça-feira a sua própria neta na Maternidade Sinhá Junqueira, em Ribeirão Preto (SP). Ela "alugou a barriga" para a filha Tatiana Cristina Andrade, de 32 anos, que teve que retirar o útero após uma cirurgia. Alice nasceu nesta terça após pesando 2,285 quilos e medindo 45 centímetros. Ficará internada em observação por 48 horas. A família mora atualmente na Itália e a expectativa é a de voltar ao país daqui um mês.



"Estou muito emocionada", disse a esteticista Tatiana, poucos minutos antes do parto da filha, que ela acompanhou. "É maravilhoso, só uma mãe faz isso. Minha mãe me deu a vida duas vezes, quando eu nasci e agora com a minha filha", continuou ela, após enxugar algumas lágrimas, ao lado do marido, o corretor de seguros Guido Damiano, de 41 anos.



Tatiana aproveitou a oportunidade para incentivar mulheres a não desistirem do sonho da maternidade, mas que sejam prudentes, pois nem sempre dá certo. "Nada na vida é impossível, não pode desistir", enfatizou. Para gerar a própria neta, Eunice fez exames durante um ano e, após a aprovação médica para a gravidez, foram feitas três tentativas. Não houve fecundação na primeira vez. Na segunda, ela engravidou de gêmeos, mas a gestação não chegou ao fim. E, na última, Alice nasceu.



Damiano, apesar da emoção, preferiu não assistir ao parto. "É a primeira neta dela e ela fala que é avó, não tem o apego de mãe", comentou Tatiana. "Minha filha não mexia, foi só eu chegar e ela começou a mexer", destacou a esteticista. O casal acompanhou a gestação pela internet e há um mês chegou ao Brasil para acompanhar o parto. A cidade italiana onde moram não foi divulgada.



O ginecologista e obstetra Fernando Marcos Gomes, que fez o parto, disse que a decisão da cesariana foi da própria Eunice, que não se sentiu segura em ajudar no trabalho de parto natural. "Foi uma decisão dela e respeitamos", explicou ele. Como Eunice, que teve três filhos, sentia várias dores nos membros inferiores, o parto foi antecipado em pelo menos duas semanas - a gestação normal dura entre 38 e 42 semanas. A gravidez é considerada de alto risco, principalmente por causa da idade.



Como já havia passado pela menopausa, Eunice passou por estimulação hormonal para que seu corpo ficasse apto a receber o embrião da neta. Tatiana, a mãe biológica, também recebeu estímulos de hormônios para, se possível, amamentar a própria filha.

V Congresso Brasileiro de Bancos de Leite Humano/ I Congresso Iberoamericano de Bancos de Leite Humano.

Congresso a se realizar entre dias 28 e 30 de setembro de 2010 (Brasilia-Brasil)

Tema Central


“O Compromisso dos Bancos de Leite Humano com os


Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”


O anúncio do V Congresso Brasileiro de Bancos de Leite Humano / I Congresso Iberoamericano de Bancos de Leite Humano / Fórum de Cooperação Internacional em Bancos de Leite Humano não é motivo apenas de uma enorme satisfação. Orgulho talvez seja a palavra mais adequada para descrever o sentimento de todos os que participaram e participam desse processo de construção coletiva que é a Rede de Bancos de Leite Humano. Gerada na Fundação Oswaldo Cruz, rapidamente assumiu proporções nacionais e se faz presente em todos os estados brasileiros, atuando no Sistema Único de Saúde como uma estratégia de qualificação da atenção neonatal em termos de segurança alimentar e nutricional.



No cenário internacional foi o I Fórum Latinoamericano de BLH, realizado em Brasília no ano de 2005, que demarcou o inicio de uma grande caminhada para a implantação da Rede Latinoamericana de BLHs. Em 2007, a Cúpula de Chefes de Governo e de Estado dos Paises da Iberoamerica reconhecendo os resultados da RedeBLH, instituiu o Programa Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, como um programa de cooperação orientado para o intercâmbio no campo do aleitamento materno e BLH, como componentes estratégicos para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, com ênfase na redução da mortalidade infantil. A RedeBLH mais uma vez rompeu fronteiras, chegou a África em 2008 e neste novo e desafiador continente já atua em dois países.



Neste contexto, cumpre reconhecer que a Rede Bancos de Leite Humano é simbólica, do que os profissionais de saúde são capazes de fazer na construção de novos paradigmas, de desconstruir mitos, de evidenciar - com muita seriedade – os engodos mercadológicos, e enfim, de reconhecer e construir novos caminhos a favor do direito que toda criança tem ao desabrochar neste mundo: o direito ao leite materno como salvaguarda da vida.



João Aprígio Guerra de Almeida

Coordenador RedeBLH-BR e do Programa IBERBLH

** Noticia boa!!!!( Banco de Leite materno)

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano foi criada em 1998, por iniciativa conjunta do Ministério da Saúde e Fundação Oswaldo Cruz. Sua missão é promover, proteger e apoiar o aleitamento materno, coletar e distribuir leite humano com qualidade certificada e contribuir para a diminuição da mortalidade infantil.



Para Mães e Pais COMO TRANSPORTAR e DOAR LEITE MATERNO ? - I -


Do seio da ama-de-leite moderna até a boca de um bebê necessitado, o alimento perfeito salva vidas e percorre o comovente caminho da solidariedade(Até mesmo para crianças adotadas)



A publicitária e artesã Giovana Koshiyama, 30 anos, é um mulherão. Tem seios fartos, ossos largos. Comunicativa, distribui sorrisos por onde passa. A dona de casa Verônica Cavenagui Campos, 19 anos, tem o estilo oposto. É miúda, delicada e econômica nas palavras. Por força da solidariedade e de um capricho do destino, os filhos dessas duas mulheres, de modos tão diferentes, acabaram unidos pelos laços da fraternidade: Marcos Vinícius e Robson se tornaram irmãos de leite.



Giovana deu à luz Marcos Vinícius em novembro do ano passado, em São Paulo. O parto foi uma cesariana, na 40a semana de gestação. Com muito leite, o desconforto a obrigava a esvaziar os seios depois de amamentar. Eu jogava o leite pelo ralo e me sentia muito mal, lembra a artesã, que já pensara sobre a doação durante a gravidez. Eu dizia a mim mesma que, se pudesse, eu doaria, conta.Quando o filho fez 1 mês, ela decidiu não desperdiçar nem uma gota a mais do alimento tão importante.



Prematuro

Robson, filho de Verônica, nasceu no dia 9 de maio, prematuramente. Ela estava na 32a semana de gestação e teve pré-eclâmpsia. O frágil menino, de 1,5 quilo, sobreviveu graças ao fornecimento do banco de leite da Maternidade Estadual Leonor Mendes de Barros, em São Paulo. Com certeza, o garoto estaria sendo nutrido também se recebesse o alimento artificial. Mas só o leite humano protege, com seus anticorpos, e reduz o risco de alergia alimentar, que seria muito delicado para um prematuro, diz Joana Kuzuhara, supervisora-geral do banco de leite da maternidade, um dos 46 bancos do estado, que receberam no ano passado 28 mil litros, capazes de aleitar 27 mil prematuros. De fato, uma recente pesquisa americana com bebês prematuros mostra que 39% dos que sofreram infecções tinham recebido menos leite humano que os demais.



O Brasil tem a maior rede de bancos de leite humano do mundo, diz Sonia Salviano, coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno, do Ministério da Saúde. A proibição da distribuição de leite humano não-tratado, em 1985, acabou com a prática da ama-de-leite, mas não com a doação. O sistema de coleta, iniciado em 1943, soma 171 bancos instalados em hospitais públicos (mais 15 devem ser abertos este ano). Em 2003, eles armazenaram cerca de 70 mil litros de leite de 66 mil doadoras, que alimentaram 101 mil crianças. Praticamente todas as mães sadias que amamentam podem doar. Do terceiro ao quinto dia do pós-parto, o peito ingurgita ou empedra, como se costuma dizer. Essa é a hora de iniciar a doação, explica Sonia. Nessa altura, as mulheres devem esvaziar as mamas, sob pena de ficarem com os seios doloridos ou sofrerem até inflamações.


Caminho do leite



Para se tornar uma moderna ama-de-leite, Giovana procurou um serviço de informação. Indicaram-lhe o Hospital e Maternidade Estadual Leonor Mendes de Barros, na Zona Leste de São Paulo, onde mora. Constatado que preenchia todos os requisitos como doadora (veja boxe), fez-se a análise do grau de acidez do leite, que determina ou não seu aproveitamento. A artesã aguardou o resultado do exame com ansiedade e ficou feliz com a aprovação. No início o marido, o administrador de empresas Marcos, estranhou, mas acabou compreendendo seu empenho e passou a apoiá-la.



Diariamente, pela manhã, depois de amamentar o filho, Giovana massageia a mama por 15 minutos e retira, sem bomba, cerca de 30 mililitros de leite do seio. O leite é depositado num vidro esterilizado e guardado na geladeira. A rotina se repete à noitinha, depois de um dia de trabalho dividido entre os cuidados com Marcos Vinícius e a confecção de enxovais de bebê, no apartamento de dois quartos na Vila Carrão - bairro paulistano de classe média. O filho, já satisfeito, costuma dormir quando a mãe faz a ordenha. Se está acordado, falo para ele esperar quietinho, que a mamãe está cuidando dos irmãozinhos de leite, diz.


A enfermeira Josefina chega para a coleta Ela costuma entrar na casa e conversar uns minutos com Giovana
Guarda o pote em uma geladeira portátil, que precisa ser mantida à temperatura máxima de 10ºC Coloca a geladeira dentro do carro e prossegue o itinerário, que geralmente inclui mais duas ou três visitas

Chega ao hospital que abriga o banco de leite
Entrega os potes coletados às enfermeiras do banco, que imediatamente os guardam em um grande freezer horizontal


Processamento

Uma vez por semana, a enfermeira Josefina Matiata visita Giovana. Cuida para que o meio litro de leite que a artesã extrai semanalmente seja transportado em condições adequadas até o banco. Como a refeição do prematuro é minúscula - nos primeiros dias, a porção fica em torno de 1 mililitro -, a doação de uma única mulher alimenta vários bebês. Isso justifica a coleta, a partir de uma quantidade mínima de 100 mililitros. Na maioria das localidades, os bombeiros são voluntários na condução do veículo que faz o recolhimento nas casas. No caso do Leonor Mendes de Barros, o carro foi cedido pela Ford.



No banco, o líquido doado passa por vários exames, incluindo uma análise de contaminação. Em seguida, investiga-se o teor de gordura. Depois, o leite é pasteurizado e congelado em freezer até seis meses. A doação de cada mulher é guardada separadamente e classificada segundo suas características. Separam-se colostro e leites de diferentes teores de gordura. Cada qual tem o seu cliente. Quanto maior o teor de gordura, menor a quantidade de anticorpos, explica Joana. As necessidades dos bebês variam: os que acabaram de nascer recebem o colostro; os que precisam ganhar peso tomam leite mais gorduroso; os que lutam contra infecções ingerem o alimento mais rico em defesas.


Pasteurização: o leite é aquecido a 65ºC e depois resfriado a 0ºC em banho-maria, para eliminar os microorganismos

Depois da pasteurização, uma amostra do leite é misturada a um líquido verde para checar a presença de microorganismos e a dosagem de acidez

terça-feira, 28 de setembro de 2010

* Amor e ódio é o que rege uma relação?

A relação entre os seres humanos é bizarra;
Brigas por posse de um filho, brigas para pensões;
Manter filhos afastados de pais e mães, mentiras, traições...
Onde o ser humano pode parar?
Qual é o seu caminho?
Amar apenas não basta, precisamos possuir?
E este pequeno ser fragil, espera de nos apenas proteção, carinho e amor.
Se este amor que a gerou não foi tão forte,
que ao menos o amor por este ser seja forte o bastante para poder proteger,
cuidar, amar, sustentar, conduzir... Sem dor!!!!

* Laudo aponta que causa da morte da menina Joanna foi meningite viral

RIO - A menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, de 5 anos, morreu, no mês passado, de meningite causada pelo vírus da herpes. Esta foi a conclusão que peritos do Instituto Médico Legal chegaram sobre o caso da criança, que passou quase um mês em coma, internada em uma clínica em Botafogo, após sofrer convulsões e ter sido atendida por um falso médico no hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca. Ao dar entrada na UTI, Joanna tinha hematomas nas pernas e sinais de queimaduras nas nádegas - o que levou a polícia a investigar maus-tratos.


Parentes fazem manifestação em Copacabana


O laudo que aponta meningite como a causa da morte não esclarece nada sobre as marcas que Joanna apresentava. O IML ainda depende de exames complementares, que estão sendo realizados, para dar o resultado final da análise da queimadura. A mãe da menina, a médica Cristiane Cardoso Marcenal Ferraz, acusa o pai de Joanna, o técnico judiciário André Rodrigues Martins, de maus tratos. O casal disputava na Justiça a guarda da filha desde seu nascimento.


Falso médico levantou suspeitas sobre madrasta

Em julho, quando estava na casa do pai - a menina foi afastada da mãe por 90 dias por decisão de Cláudia Viera, juíza da 1 Vara de Família de Nova Iguaçu -, Joanna apresentou, segundo André, convulsões. Ela foi levada pelo pai a dois hospitais, entre eles o Rio Mar. Lá, foi atendida pelo falso médico Alex Sandro da Silva Cunha, um estudante de Medicina que liberou Joanna embora ela estivesse desacordada. Em seu primeiro e único depoimento à polícia, Alex, que agora está foragido, levantou suspeitas contra a madrasta da criança, Vanessa Maia.

Segundo ele, Joanna pediu no hospital para ir ao banheiro, mas Vanessa teria dito que ela não precisaria tirar a calça, pois estava de fralda. Naquele dia, a criança já tinha a queimadura nas nádegas, produzida 40 dias antes, conforme foi constatado pela perícia.

Apesar de todas as dúvidas que cercam o caso, o que matou Joanna, segundo o laudo, foi a meningite provocada pelo vírus da herpes. Segundo o infectologista Edimilson Migowski, professor de infectologia pediátrica da UFRJ, o contágio com o vírus pode acontecer pelas vias aéreas ou pelo contato com pessoas ou objetos contaminados. Mais conhecido por provocar lesão labial, o vírus da herpes, num organismo com imunidade baixa, pode afetar o sistema nervoso central, evoluindo para uma encefalite.

De acordo com o especialista, na maioria dos casos, com o tratamento adequado, a pessoa é curada, mas há históricos de sequelas, como paralisia.

"A regra, no caso de meningite viral por herpes, é ter uma infecção localizada, febre e mal estar, mas isso depende do sistema imunológico da criança. Em tese, no caso da Joanna, ela poderia estar com a imunidade baixa por estar sofrendo algum tipo de estresse. A questão familiar pode influenciar, isso é um fato. O próprio estresse pode causar a imunodeficiência transitória. Se isso coincidir com a infecção por vírus, o caso pode se agravar. A meningite viral por herpes pode causar convulsões e rigidez na nuca" explicou Migowski.

Ele disse que quando a criança faz um quadro de meningite não é possível saber se ela foi causada por vírus ou bactéria. Para descobrir e escolher o tratamento adequado, é necessário fazer uma punção lombar.

"Nem todo o hospital tem recursos para identificar o vírus, mas é possível que a criança dê pistas de que apresenta sintomas da meningite por vírus, como ter aftas na boca e inflamação na gengiva. Ela pode pegar ao compartilhar chupeta, brinquedos ou ter contato com um adulto infectado" explicou o especialista.



Vera Araújo

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Menino de nove anos tem língua queimada

Rio e cidades .publicado em 14/09/2010 às 20h49:



...Um menino de nove anos teve a língua, as costas e as mãos queimadas com um ferro de passar roupa na noite da última segunda-feira (13), na localidade de Valparaíso, em Serra, no Espírito Santo.


O garoto acusa o pai pelas agressões. Ele disse que foi castigado após ter dado palmito para um vizinho.




- Meu pai passou ferro em mim porque eu tinha dado palmito para os outros




A criança está sob a guarda do pai desde a morte da mãe. O caso de tortura foi revelado depois de o Conselho Tutelar da Serra receber uma denúncia e ir até a casa do menor agredido.




- A denúncia era de espancamento contra essa criança supostamente pelo pai. Quando nós chegamos ao local constatamos que a criança havia sofrido tortura e maus tratos - disse a conselheira Márcia Moura.




O menino não tem documentos e disse que sofre agressões há dois meses. Segundo a criança, o pai também já teria o queimado com uma moeda em brasa. Ao ser intimado a comparecer na delegacia, o pai disse que não fez nada demais.




O acusado responderá pelo crime de tortura e maus tratos, podendo pegar de dois a oito anos de prisão. De acordo com a conselheira tutelar, esse tipo de caso acontece com frequência e a denúncia da população é importante.

Criança sofre agressão e é obrigada a usar droga dentro de escola

A orientação médica recomenda que a menina não frequente mais o colégio



A Delegacia da Infância e Juventude investiga uma denúncia de abuso sexual a uma menina de 10 anos em Sorocaba. O caso teria acontecido dentro de uma escola pública.




A mãe da vítima não quer se identificar. Ela conta que há um mês percebeu mudanças no comportamento da filha adotiva de 10 anos. A criança disse à família que foi agredida, ameaçada e forçada por uma jovem a usar drogas no banheiro da escola.




A menina passou por exames de corpo de delito e foi encaminhada para tratamento psiquiátrico. No atestado, a médica recomenda que a criança não frequente mais a escola. Segundo a dirigente regional de ensino de Sorocaba assim que tomou conhecimento do fato foi aberta uma investigação interna.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

* Pare e reflita (temos direito de bater?)

"Papai... dói"



Esta é uma história verdadeira e






Meu nome é Chris,

Estou com três anos,

Meus olhos estão inchados ..

Eu não posso ver.



Eu devo ser estúpida,

Eu devo ser má,

O que eu poderia ter feito para

Meu pai ficar tão bravo?



Eu gostaria de ser melhor,

Eu desejo não estar tão feia,

Então, talvez a minha mãe,

Será que ainda querem me abraçar.



Eu não posso fazer algo errado,

Eu não posso falar nada,

Ou então eu fico presa,

Durante todo o dia.



Quando estou acordada,

Eu estou sozinha,

A casa está escura,

Meus pais não estão em casa.



Quando minha mãe vier para casa,

Vou tentar ser agradável,

Então, talvez eu consiga,

Uma noite só com chicotadas.




Acabei de ouvir um carro,

Meu pai está de volta





Eu já ouvi êle amaldiçoando

Meu nome é chamado,

Eu me aperto,

Contra a parede.



Eu tento me esconder,

De seus olhos

Tenho tanto medo agora,

Eu estou começando a chorar.




Ele encontra-me a chorar,

Chama-me por um monte de palavras feias,

Ele diz que tudo é culpa minha,

Ele sofre muito no trabalho.





Ele bate e bate

E grita comigo ainda mais,

Eu finalmente me vejo livre,

E corro para a porta.



Ele já fez o bloqueio,

E eu começo a gritar,

Ele me leva e me joga,

Contra a parede.















Eu caio no chão,

Com os meus ossos quase partidos,

E meu pai continua,

Com mais palavrões.




"Sinto muito!", Eu grito,

Mas agora é tarde demais,

Seu rosto fica retorcido,

Em uma forma inimaginável.



E mágôa e chuta,

Novamente e novamente

Por favor, Ó Deus, tem misericórdia!

O por favor, faça isso acabar!



E finalmente ele pára,

E se dirige para a porta,

Enquanto eu estava ali, imóvel,

Esparramada no chão.



Meu nome é Chris,

Estou com três anos,

Esta noite meu pai,

Me matou.









Você teria que ser,

Uma pessoa sem coração,

Não ser afetado,

Por este poema.





Pelo menos cinco crianças a cada dia ao redor do mundo morrem



por algum tipo de abuso!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Número de crianças abandonadas cresce diariamente

O índice de abandono de crianças está a aumentar diariamente em todo o país devido à instabilidade que se regista nas famílias mono parentais, afirmou o responsável do departamento de intercâmbio do INAC.



Pedro Costa, revelou que o facto deste tipo de ocorrências se registar maioritariamente nos lares onde existe unicamente a figura de mãe e filhos, leva a instituição a defender que estas crianças sejam adoptadas ou tutelada por famílias alargadas ou substitutas.



Pedro Costa explicou que existem dois tipos de crianças abandonadas: as que são deitadas no contentor de lixo, na lixeira, na vala de drenagem ou na rua e as cujas mães entregam para cuidados temporários, mas que acabam por as abandonar nos braços da pessoa a quem solicitaram ajuda.



E, por último, o tipo de abandono que ocorre nas maternidades. “A maioria dos casos de abandono que registamos é o moral: ocorre quando os pais negam a paternidade dos seus filhos ou os cuidados que devem prestar a eles. Atendendo a este facto temos estado a procurar um antídoto para o problema aconselhando os progenitores”, explicou com um ar de preocupação.



Sobre os requisitos necessários para ficar com a tutela de uma criança, em substituição dos parentes sanguíneos, o responsável do INAC explicou que as pessoas que queiram enveredar por este caminho têm que reunir condições económicas e sociais sólidas, de modo a garantir que as crianças tenham o acesso à educação, à saúde e a um crescimento físico e psíquico normal.



O processo de tutela tem sido mais solicitado por parentes dos progenitores dos menores, após o falecimento ou quando notam que os pais não cumprem os mínimos das condições para o crescimento saudável das crianças.



“Há uma diferença muito grande entre adopção e a tutela que vale apenas explicar aqui. Esta última é um vínculo de familiar, provisório, ao passo que a adopção e um processo desencadeado em tribunal e que já não tem retorno”, esclareceu. Questionado sobre as medidas a serem aplicadas aos pais que ao constatarem que os seus filhos foram adoptados por uma família com poder financeiro e exigem que sejam ressarcidos, Pedro Costa esclareceu que o Código de Família estabelece que a adopção é uma decisão exclusiva do Estado. E, para tal, é salvaguardado o direito de trabalhar com as instituições que tem à sua disposição para acautelar todas as situações que levem eventualmente à reinvindicação da criança pela família biológica.



A Lei reserva ainda um espaço para os pais desprovidos de condições morais, psicológicas, sociais e económicas para proporcionarem uma vida saudável e tranquila e que não podem conviver com elas, também tenham o direito de decidir se o seu descendente pode ou não ser adoptado. Na ausência dos pais biológicos, esta responsabilidade recai sobre os irmãos, os tios ou avós e, caso se registem dificuldades para a obtenção deste consentimento, a Lei estabelece prerrogativas aos juízes para poderem decidir o que será melhor para a criança. Quanto à adopção de menores por parte de cidadãos estrangeiros, este direito é reservado exclusivamente à Assembleia Nacional.



Paulo Sérgio