"Ontem chorei, vi nos olhos de uma criança, um olhar sem amanhã."

* Mostrar a realidade

A minha intenção ao colocar estas postagens é de mostrar todos os problemas que envolvem as crianças abandonadas.
Tanto os problemas relacionados ao abandono, como também os traumas, as mentiras, os preconceitos. O que envolve os pais que abandonam, os pais que adotam e os filhos adotivos.
Quando se toma uma decisão de adotar é uma responsabilidade muito grande,pois se trata de um ser humano, e as marcas e recordações ficaram pra vida toda.

Pesquisar este blog

Loading...

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Recém-nascido é encontrado em lixo de hospital em Jundiaí

Um bebê recém-nascido foi encontrado dentro do lixo do banheiro de um hospital em Jundiaí. A criança teria sido deixada por uma jovem de 20 anos, que seria a mãe.

De acordo com informações do hospital, a mulher chegou ao hospital reclamando de dores abdominais. Após receber atendimento, ela pediu para ir ao banheiro.

Ao voltar, a jovem afirmou que estava bem e ia embora. Um funcionário que fazia a limpeza do banheiro encontrou o bebê no lixo.

A suposta mãe foi encontrada ainda dentro do prédio. Ela está internada e muito abalada.

A criança tem 1,5 quilos e está na UTI Neo Natal. O estado de saúde do bebê é grave e ele corre risco de morte.

Por enquanto, nenhum familiar da jovem foi encontrado. O hospital também não sabe afirmar se a mulher sabia que estava grávida.
video

terça-feira, 26 de abril de 2011

Adotar dói...

As vezes me pergunto o porque da justiça ser tão lenta em relação a uma adoção já que o que esta em jogo é a segurança de uma ser indefeso. Conheço casos que pais adotivos perderam a guarda da criança, porque simplesmente não estava cadastrado no cadastro nacional de adoção. Ou porque sua renda familiar não era suficiente. Oras!!!! É melhor viver com pais pobres, trabalhadores e amorosos, do que ser abandonado, viver numa instituição como se fosse apenas mais um numero. E me perdoem, existem abrigos que por ganharem por "cabeça" preferem te-los por ali.
Adotar dói, acho que mais que um parto.Ficamos a mercê da justiça, visitas do conselho tutelar, e medo, muito medo de não ser "aprovados". Meu Deus!!!! Amar dói, dói perder... Dói ver crianças jogadas como se fossem lixos, e nossos braços atados, ansiosos por envolve-los com carinho e muito amor!!!!!

Eu não entendo, tem muitas pessoas cadastradas, tem muitas criança para serem adotadas, e muitas esquecidas...


Gente "sem noção" vamos agilizar!!!!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Agora menina "jogada" na caçamba, tem nome, Vitoria






Sem comentários.... Ser humando não é lixo!!!!!!

Que Deus cure todas as cicatrizes que ficaram com essa brutalidade, e proteja esse anjo.

Bebê abandonado em caçamba de lixo permanecerá na UTI

 O bebê abandonado em uma caçamba de lixo na Praia Grande (a 71 km de São Paulo) vai continuar internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Municipal Irmã Dulce. As previsões médicas anteriores indicavam que a recém-nascida teria alta neste fim de semana, mas os exames apontaram que ela ainda sofre um processo infeccioso e precisa permanecer na UTI.
O chefe da UTI, o médico Antonio Rua, disse em um comunicado que o estado dela é grave, "mas não é gravíssimo".


ABANDONO

Com idade estimada entre sete e dez dias de vida e pesando 2,5 quilos, a menina foi encontrada dentro de uma caçamba de lixo na útima segunda-feira (18), no bairro do Boqueirão da Praia Grande, no litoral sul de São Paulo.
Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que uma mulher coloca o bebê no lixo, por volta das 21h50.
A polícia, no entanto, não sabe se a mulher é mesmo a mãe e não tem informações sobre os pais.
Um catador que revirava o entulho encontrou a criança e pediu ajuda a um professor de uma escola das proximidades.
A história provocou tanta comoção, que o policial que participou do resgate e as enfermeiras que cuidaram da menina no hospital queriam adotá-la, contou o Conselho Tutelar do município.
Se a família não for localizada ou se não quiser ficar com a menina, ela entrará no Cadastro Nacional de Adoção. Quem já está na fila de espera terá prioridade.

Adotar uma criança babandonada por maus tratos.

Me escreveram perguntando sobre adotar a irmã de 4 anos do adolescente morto por fome e cárcere imposto pela própria mãe.
Adotar uma criança que foi tirada da mãe por maus tratos fica meio complicado;Primeiro porque o conselho tutelar vai a busca dos parentes, depois existe um cadastro nacional de adoção que tem prioridades. E deve ter muitas pessoas interessadas.
Mas existem muitas crianças para adotar, em abrigos, orfanatos. As pessoas interessadas devem se cadastrar para adoção, depois procurar, visitar orfanatos, conhecer as crianças. E ter muita paciência, mas principalmente colocar nas mãos de Deus.

Boa sorte!!!!

terça-feira, 19 de abril de 2011

Adolescente morre com suspeita de maus tratos e fome.

Polícia diz que menino passava fome; a mãe foi detida


...Um adolescente de 15 anos morreu na noite de domingo (17), com suspeita maus-tratos. De acordo com a Polícia Civil, o garoto morreu de fome dentro de sua casa, na rua Matheus de Perugia, Jardim Vaz de Lima, zona sul de São Paulo. A mãe foi presa.

Ainda segundo a polícia, ele ficava trancado em um quarto escuro e, quando se agitava, a mãe o amarrava com cordas. A polícia disse que, pelo estado em que o corpo da vítima foi encontrado, havia muitos dias que ela estava sem comer.

Uma irmã do garoto, de quatro anos, também era vítima de maus-tratos e foi encaminhada para a casa de parentes. Em depoimento à polícia, na manhã desta segunda-feira (18), a mulher negou as agressões aos filhos.

O caso está sendo investigado pelo 92° DP (Parque Santo Antônio), onde a mãe permanecia detida até as 8h40. Segundo os policiais, ela deve ser transferida para uma carceragem feminina.



Neste caso seria melhor se ele tivesse sido abandonado.Talvez ainda estivesse vivo!!!
 
O abandono não se caracterisa só do fisico, pior é o abandono de afeto e atenção.

Criança que não tem para quem chorar morre de fome?.?

Menino triste


Que queres, menino triste?
que me páras no farol?
Que sonho escuro que viste,
Pois teus olhos não têm sol?

Tua madrasta é a rua,
com seu cimento gelado.
E de noite, nem a lua
te dá um olhar de trocado…

Quem te largou neste mundo,
para catares esmola?
Se roubas, és vagabundo…
Mas quem te roubou a escola?

E quem te arrancou da mão
um brinquedo e uma esperança?
Quem te tirou, sem perdão,
o direito a ser criança?

Tua escola é a calçada,
que freqüentas todo em trapos.
Se o dia não rende nada,
logo apanhas uns sopapos.

Menino, no olhar me imploras
muito mais do que um favor.
Querias que tuas horas
fossem preenchidas de amor!

Mas o que vês são os carros!
Passam depressa, sem dó.
Os sorrisos te são raros.
O Brasil te deixa só.

Minha poesia já chora:
os meninos são milhões.
Será que o povo de agora
perdeu os seus corações?

Vá correndo, minha Musa
pedir ao homem tão duro,
que das riquezas abusa,
que reparta seu futuro!

Poderá haver perdão,
dizei-me vós, Senhor Deus,
para a megera nação
que assim trata os filhos seus?

E a Musa conclama alto,
com resquícios de esperança:
Brasil, não jogues no asfalto
A alma de uma criança!


Dora Incontri

terça-feira, 12 de abril de 2011

Crianças assassinadas no Rio.

Estamos em luto, estagnados, perplexos, com a maldade humana.
Foram ceifadas, sepultadas na ignorância, apagadas da vida.
Foram vidas que hoje se fazem ausência e dor.
Revolta e mágoa, estamos acorrentados na visão terrorista de um ser "DEMENTE".
Me recuso a dizer que Wellington era doente, ele era o mal, veiculo de horror do próprio "capeta"
Dor  e lágrimas, frustração, ausência e medo!!!!!

Vão para Deus pequenas almas inocentes, deixando aqui a ausência irremediável...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Crianças vendidas para trafego de orgãos e prostituição

Senadora Marinor Brito (PA) pede criação de CPI para investigar tráfico de seres humanos em diversos pontos da Amazônia e do Brasil. Criança no Pará é leiloada por R$ 5


BRASÍLIA – Crianças e adolescentes de várias cidades da Amazônia são aliciadas e, posteriormente, vendidas a quadrilhas internacionais, inclusive com participação de brasileiros. Seus corpos utilizados no mercado clandestino de retirada de órgãos. “É um comércio criminoso, real”, denuncia a senador Marinor Brito (PSOL-PA).

Em Belém (PA), por exemplo, há casas especializadas no comércio de garotas. “Promove-se um bingo com cartela a R$ 5. Quem preencher uma quina no cartão, leva uma menina”, descreve. Em Macapá e Oiapoque, no Amapá, as menores chegam a ser comercializadas por 300 euros por turistas estrangeiros que cruzam a fronteira pela Guiana Francesa. Marinor afirma que, em muitos casos, há agentes do Estado envolvidos nesses negócios, “e por isso não se investiga a fundo”.

O tráfico de pessoas faz cerca de 2,5 milhões de vítimas e movimenta mais de US$ 32 milhões anuais, segundo dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Undoc). No Brasil ainda não há um cálculo de quanto esse tipo de comércio movimenta. O Brasil é signatário da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional, mas, segundo Marinor, o País não se esforça de forma eficaz para coibir o tráfico de seres humanos.

De acordo com Marinor, o tráfico que acontece na Amazônia não está apenas vinculado as redes de prostituição, mas a outras práticas criminosas de violações aos direitos humanos. “Esse esquema criminoso também desloca as pessoas, geralmente adolescentes, para a comercialização de órgão”. Para mapear essa situação que envergonha o Brasil, a senadora Marinor Brito vai protocolar no Senado um pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a situação. A proposta da CPI, segundo Marinor, é fazer um raio-x do tráfico nacional e internacional de pessoas no Brasil, suas causas, consequências, rotas e responsáveis.

“Existem várias redes que atuam nesse mercado. Por exemplo, a garota se prostitui e contrai doenças venéreas, há um comércio bem articulado da venda de medicamentos”, explica Marinor. A estratégia dessas quadrilhas, seja de prostituição ou de tráfico de pessoas, é sempre manter as pessoas na condição de escravos.

Marinor explica que o tráfico de pessoas não sai apenas do Brasil. “Há a entrada de pessoas de outras nacionalidades, e esses estrangeiros vem para cá com a finalidade de atender o trabalho escravo”. Segundo os cálculos da senadora, o Brasil teria atualmente cerca de 25 mil trabalhadores vivendo em condições análogas á de escravo.


Dados alarmantes



Para justificar a criação da CPI do Tráfico Humano, Marinor Brito traz como exemplo as ocorrências verificadas em seu Estado, o Pará. Ali, de acordo com dados da CPI da Pedofilia do Senado, a prostituição e o tráfico de menores está disseminado em 143 municípios. As estatísticas do Centro Integrado de Atenção a Vítimas de Violência, de Belém (PA), são chocantes: a cada dia, dois menores são vítimas de algum tipo de violência. De 2004 a 2008 foram registrados 3.558 casos de violência, dos quais 3.057 contra menores.


No Pará, a maior incidência de casos ocorre nas cidades de Belém, Breves, Curralinho, Ilha do Marajó e Portel. No Amapá, as cidades com os maiores índices são Macapá e Oiapoque. “Ali [no Amapá] os crimes abrangem principalmente o tráfico de pessoas”, conta Marinor. De acordo com a senadora, o número de vítima pode ser ainda bem maior porque as vítimas não têm como denunciar por falta de delegacias. “Para pôr fim a essa vergonha, a CPI constitui instrumento fundamental”, lembra Marinor, ao ressaltar que a sociedade brasileira exige medidas urgentes dos poderes constituídos.

Mães adotivas!!!!

Quem é essa mulher que empresta seu colo e doa seu coração?Quem é ela que por tanto amor chora sozinha nos cantos da casa. Onde o medo da perda a atormenta. Quem é essa mulher que não dorme a noite, sondando o quarto do filho, cuidando de suas feridas e vigiando como se fosse um anjo, sem pedir nada em troca, apenas que a considere mãe.Que preencha seus dias, e que fique, lhe de netos e a perdoe...

Depoimento de uma mãe adotiva.

Sou mãe, e mãe adotiva. Não sei o porque dessa ancia de ter nos braços pequenos corpinhos indefesos.
Na busca talvez de curar uma ferida da humanidade, entre tantas outras, o abandono de um ser indefeso é a mais cruel. Não pude abraçar nenhuma causa, nem levantar bandeira alguma para abolir de nossas vidas tanta degeneração. Mas optei por colaborar com o pouco que tenho, dando um lar e muito, muito amor.
E a vida nos mostra a recompensa, quando vemos filhos fortes , estudiosos e trabalhadores. Pois não pude dar fama e nem dinheiro, mas a educação e a filosofia de que cada um é responsável pelos seus próprios atos, e que vestidos com a armadura de Deus, somos sempre vencedores!!!!
GENTE!!!!! Não importa a origem, a cor ou a etinia, são seres humanos, que amparados, amados e educados são capazes de traçar seu caminho e escrever sua própria história.