"Ontem chorei, vi nos olhos de uma criança, um olhar sem amanhã."

* Mostrar a realidade

A minha intenção ao colocar estas postagens é de mostrar todos os problemas que envolvem as crianças abandonadas.
Tanto os problemas relacionados ao abandono, como também os traumas, as mentiras, os preconceitos. O que envolve os pais que abandonam, os pais que adotam e os filhos adotivos.
Quando se toma uma decisão de adotar é uma responsabilidade muito grande,pois se trata de um ser humano, e as marcas e recordações ficaram pra vida toda.

Pesquisar este blog

Loading...

sexta-feira, 2 de março de 2012

Bebê abandonado é encontrado morto em lixeira

Bebê abandonado é encontrado morto em lixeiraMenino estava em uma sacola plástica amarrada e ainda tinha resíduos da placenta e do cordão umbilical


Um bebê do sexo masculino foi encontrado morto, jogado em uma lixeira no bairro Santa Antonieta, zona norte, na manhã desta segunda-feira. A criança, que ainda tinha resíduos de placenta e o cordão umbilical, estava dentro de uma sacola plástica branca amarrada.
A polícia acredita que o bebê tenha nascido de parto normal e com vida. A suspeita é de que ele tenha morrido asfixiado dentro da sacola - tanto que o corpo da criança estava roxo.
O industriário que encontrou o bebê na lixeira, Moacir Ferreira, 47 anos, conta que notou uma sacola estranha no local e foi abri-la, pensando se tratar de lixo domiciliar. Ao desfazer o nó da sacola, constatou que era um feto.
“Vi que tinha uma criança e chamei o Corpo de Bombeiros. Foi um susto muito grande, a gente nunca imagina que isso possa acontecer. Esse mundo está perdido, é demais uma coisa dessas”, lamenta.
Após a chegada do Corpo de Bombeiros, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e constatou o óbito da criança.
A polícia já tem suspeitas da criminosa e deve ouvir, dentro dos próximos dias, relatos de vizinhos e também do industriário que encontrou a criança dentro da sacola.
“Informações ainda estão chegando e creio que a suspeita vai ser localizada, até porque existem testemunhas que, por volta das 3h, ouviram discussões na rua”, explica o capitão da PM (Polícia Militar) responsável pelo caso, Celso Marrone Fonseca.
Segundo a polícia, alguns vizinhos também ouviram palmas por volta do mesmo horário, mas não chegaram a sair de casa para ver do que se tratava.
O caso será investigado pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). Pessoas que tenham denúncias podem ligar para 197. A identidade é mantida sob sigilo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário