"Ontem chorei, vi nos olhos de uma criança, um olhar sem amanhã."

* Mostrar a realidade

A minha intenção ao colocar estas postagens é de mostrar todos os problemas que envolvem as crianças abandonadas.
Tanto os problemas relacionados ao abandono, como também os traumas, as mentiras, os preconceitos. O que envolve os pais que abandonam, os pais que adotam e os filhos adotivos.
Quando se toma uma decisão de adotar é uma responsabilidade muito grande,pois se trata de um ser humano, e as marcas e recordações ficaram pra vida toda.

Pesquisar este blog

Loading...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

* Depoimento de um filho adotivo

Vou-lhes relatar a minha história:

Minha mãe biológica me deu quando eu tinha 3 meses de idade, desde então morei com a minha mãe adotiva (e verdadeira mãe) por 22 anos, mas ela não tinha o meu termo de guarda, pois esse processo foi feito sem amparo legal.
A minha mãe adotiva tinha outros dois filhos adotivos, mas registrados em seu nome. Só que o filho mais velho quando fez 18 anos saiu de casa e nunca mais entrou em contato, ele morava na mesma cidade e quando passava por nós atravessava a rua e nem nos cumprimentava, assim se passaram 16 anos sem ele manter contato conosco. A outra do meio, fugiu de casa quando eu tinha 12 anos e desapareceu, sem manter contato.
Assim eu e a mãe morávamos sozinhos nos últimos 10 anos.
Só que aconteceu uma fatalidade, na volta para casa ela foi atropelada por um condutor embriagado vindo a falecer, na ocasião eu estava viajando em estudo na Argentina, fiquei sabendo e vim direto.
Quando cheguei o filho mais velho tinha feito muita coisa, eles arrombaram a nossa casa procurando dinheiro e documentos, mas tudo bem procurei manter um bom contato com ele, afinal não adiantava brigar nessa hora.
Ajudei a encaminhar toda a documentação para o seguro, só que ele pegou todo o dinheiro e não pagou nada, nenhuma conta e até mesmo a funerária.
Como eu não tinha onde morar continue na casa, pois afinal morava lá desde sempre. Mas ele não entendeu e me forçou a sair, me intimidando com advogados e marginais pagos para me amedrontar, quando eu chegava da universidade.
Então ele passou a ir constantemente no meu serviço, que no caso era na minha universidade, para me pressionar a sair.
Nesse tempo, 3 meses após a morte da minha mãe, apareceu a segunda filha exigindo seus direitos, só que eu dei a chave da minha casa para ela pegar as roupas da mãe e algumas coisa que ela quisesse.
Só que eles levaram TUDO, até as minhas roupas e sapatos, deixaram a casa limpa.
Os vizinhos me contaram que os meus livros e cadernos foram queimados (o que me deixou mais arrasado)
Eles desmancharam a casa que era de madeira e venderam, a outra que era de alvenaria ele trancaram e mudaram a fechadura para impedir que eu entrasse.
No final fiquei sem nada mesmo. Sem casa, sem roupas e sem meus livros, fotos,... No processo não sou envolvido, consta como se eu não existisse, pois na declaração conta apenas os dois como únicos herdeiros.
Como não tenho outros parentes agora vivo de favores em casas de amigos, pois até o emprego eu perdi devido essa história.
É triste essa situação, pois cada vez mais o ser humano se mostra cada vez mais desumano.
Obrigado!

Um comentário:

  1. Que isto, que gente mesquina, pois esta mãe com certeza ensinou amor ao próximo e eles simplesmente preferiram ignorar este legado...

    Fique com Deus, menina Solange.
    Um abraço.

    ResponderExcluir