"Ontem chorei, vi nos olhos de uma criança, um olhar sem amanhã."

* Mostrar a realidade

A minha intenção ao colocar estas postagens é de mostrar todos os problemas que envolvem as crianças abandonadas.
Tanto os problemas relacionados ao abandono, como também os traumas, as mentiras, os preconceitos. O que envolve os pais que abandonam, os pais que adotam e os filhos adotivos.
Quando se toma uma decisão de adotar é uma responsabilidade muito grande,pois se trata de um ser humano, e as marcas e recordações ficaram pra vida toda.

Pesquisar este blog

Loading...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O papel do pai no abandono de crianças.

Domingo comemoramos o dia dos pais. Legal, relembrei com carinho o meu pai já falecido, fiz questão que meus filhos fizessem um singela homenagem pro pai. PAI, pra mim um peça fundamental na vida de um ser humano, um ponto de apoio, um braço forte, um farol...O meu pai foi um homem que me deu seu carinho, apoio e a direção de minha vida. Hoje sou a mãe que sou porque tive um a pai presente. Meu marido é um pai de amor, abraçou em sua vida caminhos que deram a outras vidas a certeza de uma vida melhor.
Mas onde estão os pais dessas crianças abandonadas, assassinadas, abortadas??? Já pensaram nisso? Porque a culpa só é da genitora? Porque quando vamos adotar uma criança quase sempre nem se cogita o nome do pai. A mãe alega nem saber quem é, verdade? Claro que ela sabe, mas toma sobre si a culpa, da burrice de ter amado, se entregado e acreditado nesse "homem".Então ai esta a maça podre, o núcleo do abandono parte sim, dos homens irresponsáveis, sem amor, sem pudor. Que trata as mulheres como um objecto, e que se dane o fruto desse ato. A sociedade trata este fato como tratamos os cachorros soltos na rua, bolinando as cadelas no cio, e que se dane as cachorras dos outros ou os filhotes que elas teriam. Os filhotes seriam jogados nas ruas, ou assinados, assim como os bebes. Pobres mulheres!!! Sim, imagina a dor a frustração, o sofrimento que as leva a loucura, a covardia... O abandono tem nome, DESAMOR. Se tão somente voltássemos a respeitar e temer a Deus, se os casais se deitassem na cama apenas por amor, e que seus filhos fossem filhos do amor, o abandono jamais existiria. Então que a lei da terra seja mais direcionada também a punir esses pais sem rosto e sem nome. Quando condenamos uma mulher pelo abandono, deveríamos procurar o pai, o homem que proporcionou o desenrolar de uma historia de desamor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário